O TST - Tribunal Superior do Trabalho (Brasília/DF) encerrou uma ação em relação à viúva de um eletricista vítima de acidente de trabalho, mantendo a reclamatória trabalhista apenas em relação à filha menor de idade. Os Juízes entenderam que a suspensão do prazo prescricional aplicável à filha, que tinha 14 anos na época do ajuizamento da ação, não se estende à mãe, pois os prejuízos materiais e morais particulares que cada uma sofreu são personalíssimos.