O TRT9 – Tribunal Regional do Trabalho do Paraná manteve a demissão por justa causa de motorista de transportadora que trafegava embriagado. O Tribunal entendeu que a atitude do motorista foi qualificada como falta grave, e que sua conduta estava coberta de gravidade que justificasse a aplicação da penalidade, mesmo que seu histórico não apresentasse outras atitudes reprováveis, levando-se em conta os riscos inerentes à atividade de motorista. O incidente ocorreu em 2015 em uma rodovia do estado de São Paulo onde o motorista circulava em ziguezague pela auto-estrada, quando acabou preso.